Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Tesouros do Nosso País

Temos o gosto de muitos dos nossos conterrâneos e por isso resolvemos partilhar experiências, divulgá-las e opinar sobre o que poderá fazer no nosso país, como restauração, lazer entre outras coisas.

Tesouros do Nosso País

Temos o gosto de muitos dos nossos conterrâneos e por isso resolvemos partilhar experiências, divulgá-las e opinar sobre o que poderá fazer no nosso país, como restauração, lazer entre outras coisas.

#Coches, Madeira com História

09.01.19 | DM&FS

b80299974c5780de9d1fb4ab26c7b055.jpg

Depois de um documentário na RTP2, que ao acaso surgiu enquanto fazia o famoso zaping na TV,  despertou a minha atenção o assunto : Museu Nacional dos Coches, até esta data nunca tinha pensado a sério em visitá-lo,ou saber ao certo o que era. Além de saber que era uma colecção de carroças a cair ao pedaços,  até porque não fazia ideia do valor patrimonial que la está, e nunca tinha visto algo que me chama-se a atenção de ir ver pedaços de madeira ! Mas nessa tarde , parei e dei uma hipótese de ver durante  uma hora, sensivelmente, e ouvir a caracterização do espaço e de cada modelo individualmente com toda sua  historia ,  daqueles pedaços de madeira que até então os apelidava assim.

Nesse mesmo dia pensei para mim que queria ir ver com os meus olhos esse espaço, no mesmo fim de semana a seguir , como teria de ir a Lisboa visitar a minha mãe, pensei que antes de ir ve-la poderia dar um pulo ao museu. Por sorte foi a um domingo, o 1º do mês, isso para quem não sabe, dá direito a entrar no museu da rede publica de graça. Mas atenção! Só mesmo o 1º domingo do mês... e assim foi,  cheguei a Lisboa,  parei o carro e andei um pouco ate me defrontar com um edifício enorme branco, com a inscrição em letras douradas MUSEU NACIONAL DOS COCHES , segundo sei uma obra do arquitecto Paulo Mendes da Rocha.
Dirigi-me a bilheteira e pedi os bilhetes de graça para entrar, e la fui, entrei dentro de um elevador enorme e subi, quando as portas se abriram sai e comecei a espantosa visita por duas áreas distintas de coches, berlindas e muito mais .
Feitos em Portugal, Itália, França, Áustria e Espanha, os coches abrangem três séculos e vão dos mais simples aos mais sofisticados. deixaram de ser para mim pedaços de madeira e viraram obras de arte e não só, neste espaço podes ver mais 70 viaturas  expostas, sendo a mais antiga datada do século XVI e a mais recente uma Mala-Posta do século XIX.
Segundo fiquei a saber depois de muito ouvir ler e matar curiosidade, tudo começou com o picadeiro real, a 23 de maio de 1905 quando foi inaugurado em Lisboa o «Museu dos Coches Reais» onde era antigamente uma escola de arte equestre,o mesmo foi, construída pelo arquitecto italiano Giacomo Azzolini, em 1726. Em 1905,  como disse foi transformado num museu pela rainha D. Amélia, esposa do rei D. Carlos, sob o nome Museu dos Coches Reais que, após o golpe republicano, teve o seu nome alterado. É um dos  museus da rede pública mais visitado de Portugal.
Para além da colecção de viaturas hipomóveis,que poderás ver  ainda um conjunto de peças que foram utilizadas no serviço das viaturas e cortejos de gala e outras ligadas à arte da cavalaria e aos jogos equestres assim como uma colecção de retratos da Família Real portuguesa.
Depois desta visita fiz a minha visita a mãe, como estava previsto, e voltei para casa mais uma vez cheio de cultura e maravilhado por ver que apenas o que pensava que era pedaços de madeira, afinal deram-me uma lição de nunca julgar antes de conhecer. Sentado, e horas mais tarde, o documentário passou de novo na televisão e eu olhava para cada carro  e sabendo como era pois tinha lá estado, a minha atenção era outra e alegria de poder dizer estive ali e vi com os meus olhos e vale apena ver e rever , cada vez mais acho que o nosso património é valioso e cada vez que saio de casa para descobrir algo e matar a minha famosa fome de curiosidade, ainda fico com mais, aconselho a ver e saber mais sobre a historia que envolve os "pedaços de madeira" tão famosos como aqueles.
 

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Guia Alfacinha - www.wook.pt